terça-feira, 21 de julho de 2009

Foi você que pediu Monsão?

O dia esteve agradável. Um leve sol matinal até obrigou a levar os óculos escuros para o escritório. Depois, por volta das 17h, sem grande aviso, o céu começa a escurecer e a chuva começa a cair com a vingança de lhe ter sido negado espaço durante o dia. Em menos de dez minutos, a rua em frente ao escritório ficou transformada numa poça gigantesca, com água cor de lama. Depois de meia hora de espera dentro do escritório, sem que o dilúvio amaina-se, lá me aventuro para a rua, com o mantra "Vais-te molhar e vais, por isso mais vale ir mais cedo pra casa".

Os últimos metros até à minha porta, foram feitos encavalitada no que restava dos passeios, já que a rua estava intransitável, com água a dar pelo meio da coxa. Entrando na Raj Residence, deparo com toda a gente em rebuliço. Parece que há festa. No terraço. À chuva, claro. Depois de pousar as minhas coisas em casa, sigo a corrente de mulheres e crianças e subo as escadas até ao terraço do prédio, onde passamos o resto da tarde a atirar água uns aos outros, a olhar para o nível da água a subir lá em baixo na rua e a tentar comunicar em gujarati.

E é assim que os meus vizinhos indianos ganham mais um grande ponto positivo: não há temporal que desencoraje a boa disposição. Se chove há que fazer a festa, tanto como se faz quando está sol. Não há os queixumes ocidentais de "ai hoje está muito calor e ontem esteve muito frio". Quando o Monsão chega, a vida continua. Há que calçar os chinelos, molhar a perna e curtir a água, que o inverno também faz parte da vida.

5 comentários:

Vagamundos disse...

É de salutar esse espírito positivo pela vida, mesmo na intempérie nada impede a celebração.
Bjs

Liseta disse...

:)))))!!! Eu gosto dessa gente!!!

Anónimo disse...

É bom dançar á chuva!!
Lembro-me de em Luanda fazer isso quando era quenininha.

Mana Branca disse...

Em Luanda, também é assim! É por isso que apesar de tudo, vale a pena estar aqui!! A alegria dos miúdos a dançar nas poças de água á chuva, é dos mais contagiantes espectáculos que já assisti na minha vida!! È que ninguem sabe dançar como o Angolano!!

JOSÉ MODESTO disse...

Cara Teresa...não será (espero) o caso, mas se chover em demasia, será interessante vê-la a apanhar o barco...se o fizer não se esqueça de me enviar a foto do Barco...

Continue...são relactos inesqueciveis que estou a acompanhar.

Saudações Marítimas
José Modesto

Creative Commons License
Em Fila Indiana by Teresa Calisto is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Portugal License.
E voce, blogaqui?
Directorio de Blogs Portugueses