segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Despedida


Encontar simetria aqui e dificil, mas ontem foi o fechar de um circulo perfeito. A mesma comida da primeira visita. A mesma companhia no regresso a casa que no primeiro dia. Mas este foi o ultimo. Uma despedida sincera da minha familia indiana. A mummy chorou enquanto eu dizia adeus. O pai deixou que o abracasse. O meu coracao, histerico e cheio de felicidade pelos momentos que estao para vir, apertou-se um bocadinho. Um pouco para minha surpresa. A vontade de voltar para casa, a falta dos abracos portugueses, fez-me esquecer que tambem tenho lacos fortes aqui. Neste canto perdido, onde so vem quem sabe onde fica. Talvez o aperto seja a antecipacao das saudades que sei que vou sentir dos abracos indianos. Diferentes, raros, espartilhados por convencoes culturais, mas nao menos sinceros. A tristeza da mummy em me ver partir, os olhos vidrados da minha colega que sorria, o ar serio de olhos no chao do pai. Andamos sempre a ganhar e a perder. Deixamos pessoas para tras, ganhamos outras. As vezes pergunto-me se vou ter espaco no meu coracao para toda a gente. Porque estes momentos solidificam a minha conviccao de que, apesar de tudo o que tenho visto e do que ainda quero ver, o mundo esta cheio gente que ama e que mima. Ao seu jeito. E sei que ainda vou cruzar caminho com elas. Quando eu era pequenina, uma radiografia mostrou que o meu coracao, o musculo, era maior do que o habitual. Ainda bem que tenho o espaco porque sei que vou precisar dele.

10 comentários:

Anónimo disse...

Até eu fiquei de lágrima no olho. Essa familia á muito boa. Abraços para eles. E....até sempre!

otília gradim reisinho. disse...

Teresinha,

Essa é sempre a parte dolorosa mas inevitável.

Beijokas

Teresa disse...

:)
Beijinhos

Mais um Lugar de Mim disse...

Teresa,

Como sabe acompanhei-a nesta viagem que, de certo modo, é também uma viagem da minha vida, até agora adiada. Foi bom, muito bom, porque me abriu portas (e janelas) ao lado mais realista dessa sociedade.
Tenho a certeza de que para si foi uma experiência muitissimo enriquecedora e inesquecivel. Quanto ao coração, eu costumo dizer que não tem lugares marcados, nem lotação esgotada. Cabe sempre mais alguém.
Beijinhos e bem vinda a casa!

Mana Branca disse...

Que experiência fabulosa!! Até na hora da partida as emoções são surpreendentes!!Eu já tou com saudades das tuas aventuras em Surat....beijos grandes cheios de saudades e boa viagem!!!

PS- Organiza as fotos até ao Natal, que vou querer ver tudo!!!

Liseta disse...

Até já ;)

JOSÉ MODESTO disse...

Um Agradecimento a si que nos mostrou um pouco desse Mundo.

Saudações Marítimas
José Modesto

Aurora - Ló disse...

Contente para te receber, um bocadinho triste por saber que também vais ficar um pouco tristinha...
mas a vida é assim.
Missão cumprida e comprida. Agora há que regressar às origens.
Beijos e abraços (para não ficar atrás dos indianos)

Vagamundos disse...

Custa sempre a despedida. O portugues tem este feitio. Todos os locais por onde passam têm ainda mais encanto na hora da despedida.
Bjs

Queiroz disse...

Complicado mesmo...tanta sensação em simultâneo. Ainda bem que há essa radiografia, apesar de sabermos a imensidão do teu sentir.
Beijinhos

Creative Commons License
Em Fila Indiana by Teresa Calisto is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Portugal License.
E voce, blogaqui?
Directorio de Blogs Portugueses